quinta-feira, 16 de junho de 2011

Do romance.

Otávio, Otávio... Minha vontade era te matar pra ficar com você, pra cuidar de você e não deixar mais ninguém te machucar, eu tenho vontade de cuidar de cada poro teu. Loucura minha, mas quero soprar cada poro teu, te refrescar no verão, não te deixar suar nunca mais. Quero beijar cada parte seca do teu corpo. Otávio, Otávio... Eu queria observar tua alegria, queria te avisar que ta sol antes de você levantar e te dar todas as boas notícias da tua vida. Meu plano era te ver todos os dias, antes de todo mundo. Aliás, eu nem te queria nesse mundo. Queria tudo isso, queria passear com você e descobrir alguma flor desconhecida, batizar com teu nome e plantar um pezinho no quintal. Quero que você sinta a minha falta como um ventre há de sentir falta do filho pronto. Quando você ficar de pé, quero que seja com a minha força, quero ficar exausta a cada esforço teu. Quero ser o teu único motivo de cansaço e se você disser “adeus” algum dia, quero que eu seja esse “deus”, esse “a” e essa despedida. No ano novo eu que vou fazer a contagem regressiva pra você, quero ser eu, e só eu, a te avisar que acabou e começou e acabou mais um ano da tua vida. É louco, mas queria ser tua mãe e tua assassina, te ver nascer e morrer, te fazer e te acabar. Sonhei que eu era homem, e era teu amigo e que você falava comigo, falava coisas de homem, e que depois quando você voltava pra casa, eu virava mulher e você falava comigo, coisas de homem e mulher. Sonhei que eu era tudo da tua vida, e que você falava comigo como fala com tudo, e que depois eu era você, e aí só de pensar você falava comigo também. Otavio eu quero encher a tua cama de frutas e caçá-las com você por toda a noite. Quero perdê-las e só de manhã encontrá-las já maduras.
Tenho ciúmes quando você diz “graças a Deus”, sinto que você divide seu coração e sua esperança. Quero ser a tua fé e a tua mulher, pra sempre, mais do que qualquer “sempre” que você já tenha dito, ouvido, lido, falado escutado, escrito.

Desse jeito você vai achar que eu te amo, mas é o contrário, tou dizendo aqui que eu não te amo e que isso que eu sinto por você é uma loucura minha por culpa tua. Eu não te amo. Esse é o fim da gente.



- Otávio ou as flores tristes na janela.

Um comentário:

  1. se este não é o seu melhor texto, é um dos com certeza ^^ saudades...

    ResponderExcluir