sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Só eu ?

Todo Amor que Houver Nessa Vida

Composição: Frejat/ Cazuza

Eu quero a sorte de um amor tranqüilo
Com sabor de fruta mordida
Nós na batida, no embalo da rede
Matando a sede na saliva

Ser teu pão, ser tua comida
Todo amor que houver nessa vida
E algum trocado pra dar garantia

E ser artista no nosso convívio
Pelo inferno e céu de todo dia
Pra poesia que a gente não vive
Transformar o tédio em melodia

Ser teu pão, ser tua comida
Todo amor que houver nessa vida
E algum veneno antimonotonia

E se eu achar a tua fonte escondida
Te alcanço em cheio, o mel e a ferida
E o corpo inteiro como um furacão
Boca, nuca, mão e a tua mente não

Ser teu pão, ser tua comida
Todo amor que houver nessa vida
E algum remédio que me dê alegria

11 comentários:

  1. Você fala tanto de amor, exalta tanto o amor, mas você ama algo além do Chico?

    ResponderExcluir
  2. Complexo hein? Sou mais de observar e ouvir a vida ... Além do Chico tem o Camus o Nelson o Conan Doyle e as vezes o Bresson...

    ResponderExcluir
  3. Q tal amar uma mulher!

    ResponderExcluir
  4. esse ai amando mulher? só se for a mae dele. . .

    ResponderExcluir
  5. Amor de homem, mulher e romantismo é coisa que dói demais para os artistas. Penso que amor entre artistas e suas artes é mais bonito, mais sincero. Homem com homem, mulher com mulher, carne com carne ou alma com alma.
    (Só) sinceridade!

    Aplausos, gosto disso.

    ResponderExcluir
  6. 1º Anônimo: seria bom se não fosse a mãe dele!

    ResponderExcluir
  7. kkkkkkkkkk... Se esse ai um dia amar alguém além do chico estraga!

    ResponderExcluir
  8. "Marcio Tito Pellegrini Trigo disse...

    ... aham "


    UHAUHAHUHAUU eu ri :D

    ResponderExcluir
  9. Estraga não, aposto que fica mais sedutor doq ja é.

    ResponderExcluir